Brinco de Princesa é o nome da minha flor de batismo, dado a mim pelo meu pai na infância. É uma lembrança muito preciosa, uma jóia que carrego com enorme carinho e que resgatei quando decidi deixar a arquitetura para me dedicar exclusivamente à arte das flores.

 

Foram 15 anos como arquiteta, trabalhando em grandes escritórios de São Paulo. Até que, em uma busca pessoal por essência e propósito, passei a me ver cercada de flores durante minhas sessões diárias de meditação – um mar delas, lindas e únicas. Assim passei a criar arranjos florais. E descobri que as flores são, além de lindas, mágicas: elas me permitem estar presente no aqui e no agora. Em meu ateliê, o tempo se perde em beleza e amor.

 

Gosto de cultivar jardins vivos e sensíveis, onde as pessoas possam se relacionar com as plantas e entre si. Gosto de criar buquês e arranjos para demonstrar alegria e carinho. Acho lindo decorar a casa para receber pessoas queridas e usar as flores para ofertar, agradecer, amar.

 

Minhas criações levam em conta a individualidade e intenção de cada cliente e encomenda. São divididas em coleções que acompanham as estações do ano, pois acredito em respeitarmos o que a natureza oferece de melhor, momento a momento. São arranjos e propostas únicas, espontâneas, naturais – minha modesta interpretação desse universo.  

 

Flores têm um poder que ainda não consigo descrever. Mas sei que sou feliz vivendo perto delas, conectada com essa força natural. Tudo o que aprendi, desde os brincos de princesa da infância até as lições dos grandes nomes da arquitetura, hoje se materializa em meu trabalho como florista e em meu doce propósito de espalhar a graça das flores para que o mundo seja um lugar mais delicado e encantador.

 

Priscila Della Valle